quarta-feira, fevereiro 01, 2012

Eu vi um menino...


Eu vi um menino que, de tão péssimo, às vezes, fazia-se necessário amarrá-lo para sossego alheio...
Eu vi um menino brincar com um barco de papel numa poça de água da chuva...
Eu vi um menino muito inteligente, que desenhava maravilhosamente bem e começou a ler muito cedo...
Eu vi um menino que morava em uma casa com muro amarelo e passava as férias na praia...

Eu vi um menino que subia em árvores, atirava de baladeira e jogava peteca, mas era péssimo com pipas...
Eu vi um menino que escondeu mais segredos, dores e rancores do que o seu rosto podia mascarar...
Eu vi um menino que era bom em tudo que fazia, menos em acreditar em si mesmo...
Eu vi um menino chorar escondido por anos, até que pudesse chorar na frente de outrem...

Eu vi um menino que adorva a comida da mãe, principalmente a carne assada e feijão com macarrão...
Eu vi um menino que odiava os irmãos, mas odiava mais ainda ficar longe deles...
Eu vi um menino que gostava de tudo que o pai gostava, porque queria ser igual a ele...

Eu vi um menino que não se tornou arquiteto, nem enegenheiro, nem piloto, nem nada do que queria ser...
Eu vi um menino que se perdeu no meio do caminho, se perdeu tanto que não podia mais voltar...
Eu vi um menino que creceu, cresceu e morreu, mas ainda vive na minha lembrança, correndo de lá pra cá...


5 comentários:

Diana Nobre disse...

:) nossa, texto tão cheio de sentimento e sentido! Tenho a impressão que eu conheço esse menino, não com todo o vigor da infância, é claro...

Argonauta021 disse...

Eu conheço um menino desses, as vezes muitos, as vezes todos.
cara esse texto tá bom demais, forte e verdadeiro.
"Eu vi um menino que creceu, cresceu e morreu, mas ainda vive na minha lembrança, correndo de lá pra cá..."

Parabéns meu amigo.

Ei vo divulgar lá no blog do Argonauta, td bm?

Anônimo disse...

Fui uma menina comportada, porém lendo seu post imagino meu filho no futuro...quero q/ ele também tenha esses sentimentos.

JotaGiordano disse...

Muito lindo isso cara...

Aline Rodrigues disse...

Nossa, Magno, que lindoooo...